Notícias > Balanço da vindima de 2017 na Região Demarcada do Douro
  Voltar Imprimir
 

 

 
  Balanço da vindima de 2017 na Região Demarcada do Douro


Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto, I.P. (IVDP) apresenta dados de produção deste ano. Na Região Demarcada do Douro (RDD) registam-se aumentos generalizados na produção, em comparação com o ano anterior, que se enquadram na média da última década. Em 2017, as condições climáticas obrigaram a antecipar as vindimas como não há memória e provocaram um desvio dos resultados da colheita em relação às previsões. No princípio do verão estimava-se um aumento de 25% para este ano, mas acaba por se verificar um crescimento de 5%. Conta-se que 2017 seja um ano de vinhos de excelente qualidade pelo teor de álcool e concentração da fruta verificados.

Dados de Produção O valor total de produção, para 2017 na RDD, é de 253,9 mil pipas (1 pipa = 550 litros), somando as Denominações de Origem (DO) da região – Porto e Douro (incluindo Moscatel e Espumante), a Indicação Geográfica (IG) Duriense e o Vinho sem DO/IG, e traduz um aumento de 5% em relação a 2016 (que foi o terceiro ano mais baixo da última década). O resultado deste ano fica um pouco abaixo da média dos últimos dez anos que é de 259,2 mil pipas. Na última década, a maior produção de vinho, registada na RDD, foi em 2010 com 298,7 mil pipas. Em termos de distribuição da produção, o Vinho do Porto representa 147 mil pipas, a DO Douro 87,4 mil, Moscatel 6,4 mil, Duriense 1,8 mil e Vinho sem DO/IG 11,2 mil pipas.

A produção de Vinho do Porto em 2017 (147 mil pipas) representa 58% do valor global e está acima da média da última década que é de 136,3 mil pipas, correspondentes a 53% da produção total de vinho na RDD.





Fonte: Agroportal

 
 
22-11-2017
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares