Notícias > UE altera limites máximos de resíduos de fitossanitários em vários alimentos
  Voltar Imprimir
 

 

 
  UE altera limites máximos de resíduos de fitossanitários em vários alimentos


A Comissão Europeia alterou os limites máximos de resíduos de um conjunto de substâncias ativas no interior e à superfície de determinados alimentos, principalmente frutos e hortícolas. São elas a ametoctradina, a clorpirifos-metilo, o ciproconazol, o difenoconazol, o fluaziname, o flutriafol, a pro-hexadiona e o cloreto de sódio.

Refere o Regulamento 2018/70 da Comissão, de 16 de Janeiro de 2018, que no anexo II do Regulamento (CE) n.o 396/2005 foram fixados limites máximos de resíduos (LMR) para o fluaziname, o flutriafol e a pro-hexadiona. No anexo II e no anexo III, parte B, do mesmo regulamento foram fixados LMR para o clorpirifos-metilo. No anexo III, parte A, do referido regulamento foram fixados LMR para a ametoctradina, o ciproconazol e o difenoconazol.

No que se refere ao cloreto de sódio, não foram definidos LMR específicos, nem se incluiu esta substância no anexo IV do referido regulamento, pelo que se aplica o valor por defeito de 0,01 mg/kg.

Pedido de alteração de LMR

No contexto de um procedimento para autorizar a utilização de um produto fitofarmacêutico contendo a substância ativa ametoctradina em “plantas aromáticas e flores comestíveis“, foi apresentado um pedido para alteração dos LMR em vigor.

No que se refere ao clorpirifos-metilo, foi apresentado um pedido semelhante para dióspiros e romãs. No que se refere ao ciproconazol, foi apresentado um pedido semelhante para sementes de borragem.

No que se refere ao difenoconazol, foi apresentado um pedido semelhante para damascos, morangos, couves de cabeça, “alfaces e outras saladas”, acelgas, “plantas aromáticas e flores comestíveis”, cardos, aipos, alhos-franceses, ruibarbos, leguminosas secas, cevada e especiarias (raízes e rizomas).

No que se refere ao fluaziname, foi apresentado um pedido semelhante para cebolas, chalotas e alhos. No que se refere à pro-hexadiona, foi apresentado um pedido semelhante para ameixas.

Avaliação dos pedidos

Acrescenta o Regulamento que esses pedidos foram avaliados pelos Estados-membros relevantes, tendo os relatórios de avaliação sido enviados à Comissão.

A Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos analisou os pedidos e os relatórios de avaliação, examinando em especial os riscos para o consumidor e, sempre que relevante, para os animais, e emitiu pareceres fundamentados acerca dos LMR propostos. Estes pareceres foram enviados aos requerentes, à Comissão e aos Estados-membros e disponibilizados ao público.

Pode consultar o Regulamento e respetivos LMR aqui.





Fonte: Agricultura e Mar Actual

 
 
19-01-2018
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares