Notícias > França proíbe venda de ovos de galinhas criadas em gaiolas a partir de 2022
  Voltar Imprimir
 

 

 
  França proíbe venda de ovos de galinhas criadas em gaiolas a partir de 2022


O Governo francês anunciou na passada semana que irá proibir a venda de ovos provenientes de galinhas criadas em gaiolas já em 2022. França passará a permitir apenas a compra de ovos de animais criados ao ar livre.

De acordo com Stéphane Travert, ministro da Agricultura de França, “em 2022, os ovos frescos vendidos serão de galinhas criadas ao ar livre e não em gaiolas. Trata-se de um compromisso da nossa campanha eleitoral e vamos mantê-lo.”

Em 1999, foi aprovada uma normativa europeia que proibia a criação de galinhas em gaiolas não melhoradas. O regulamento, que entrou em vigor em 2012, define por exemplo que cada galinha deve dispor de pelo menos 750 cm2 de superfície da gaiola, um ninho, uma cama que lhe permita debicar e esgravatar, um poleiro adequado com um espaço de, pelo menos, 15 cm, e uma manjedoura que possa ser utilizada sem restrições.

São também muitas as organizações ambientais e de defesa animal que defendem que a criação de galinhas em gaiolas é prejudicial aos animais e, por consequência, aos humanos, uma vez que as galinhas estão, assim, mais expostas a doenças.

Também por isso, nos últimos anos têm sido várias as empresas da indústria agroalimentar a anunciar que deixarão de recorrer a ovos provenientes de galinhas criadas em gaiolas na produção dos seus produtos. É o caso da Nestlé, que anunciou que até 2025 pretende usar apenas ovos de galinhas criadas ao ar livre.





Fonte: Vida Rural

 
 
20-02-2018
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares