Notícias > Mercado de lácteos chinês crescerá 6,6% até 2022
  Voltar Imprimir
 

 

 
  Mercado de lácteos chinês crescerá 6,6% até 2022


O mercado chinês de lácteos deverá crescer 6,6% na taxa de crescimento anual composta (CAGR) até 2022, com aumentos consistentes de vendas previstas para iogurte e queijo, de acordo com uma nova pesquisa da Mintel.

Desde 2014, o iogurte registou um crescimento anual das vendas no retalho de mais de 20% na China, e entre 2015 e 2017, o queijo teve uma taxa de crescimento entre 15% e 25%.

A China deverá ultrapassar os EUA como o maior mercado de lácteos do mundo até 2022.

Apesar do crescimento consistente das vendas de iogurte e queijo, os dados da Mintel mostram que o volume de consumo anual per capita para os principais produtos lácteos continua baixo em comparação com outros países.

Por exemplo, o consumo de leite per capita na China é de 14,3 litros, em comparação com 36,8 litros no Japão e 51,7 litros nos EUA.

O consumo por pessoa de iogurte na China é de 3,43 kg, 4,92 kg nos EUA e 9,66 kg no Japão.

Por fim, os chineses consomem 0,02 kg de queijo por pessoa, enquanto os japoneses consomem 1,46 kg por pessoa e, nos Estados Unidos, 6,89 kg por pessoa.

Summer Chen, analista sénior de alimentos e bebidas da Mintel, salienta que «o consumo de lácteos na China ainda é baixo quando comparado ao Japão, onde os consumidores têm tradição dietética semelhante à da China».

A pesquisa da Mintel indica que o crescimento do mercado de lácteos da China será impulsionado pelo aumento do consumo, resultante da expansão das ocasiões de consumo, aumento de valor devido ao aumento do preço do leite cru e consumidores que negociam até mais opções premium

«Quando olhamos especificamente para o mercado de iogurte, graças à recente moda de iogurte à temperatura ambiente, está agora a liderar não apenas o mercado de lácteos da China, mas todos os produtos de alimentos e bebidas», referiu.

Quando se trata de produtos lácteos, os fatores relacionados à saúde são as principais áreas que os consumidores chineses estão dispostos a pagar mais.

Entre os quatro produtos lácteos pesquisados (incluindo leite, iogurte, manteiga e queijo), o leite e o iogurte são considerados pelos consumidores mais saudáveis e nutritivos (51% e 48%, respectivamente), ajudando a melhorar a imunidade (49% e 44%, respetivamente) e também bom para crianças (51% e 49%, respectivamente) e idosos (46% e 37%, respetivamente).

Os dados da Mintel dizem que os consumidores chineses urbanos preferem produtos lácteos de marcas de empresas grandes (65%) e nacionais (59%).

Mais consumidores preferem produtos lácteos importados (43%) do que os domésticos (34%). Mesmo entre aqueles que confiam em produtores locais de leite, 32% preferem produtos lácteos importados.

Summer Chen acrescenta que «ao olhar para a batalha entre produtos lácteos domésticos e importados, parece que enquanto os consumidores urbanos chineses estão a recuperar a confiança em produtores e produtos domésticos de leite, eles ainda preferem opções importadas».

«Para atrair mais os consumidores, as marcas nacionais precisam fortalecer a sua oferta em outras áreas, como se posicionar com uma imagem de marca premium, apresentar benefícios adicionais à saúde e destacar sabores inovadores para competir com marcas importadas», conclui.







Fonte: ANILACT / FoodBev.com / Milkpoint 

 
 
18-05-2018
       
 
   
 
 
home
Página de Entrada
 
Opinião
 
Links Úteis
 
Pesquisa
 
Mapa do Sítio
     
Intranet  
 
Username:
 
 
Password:
 
     
   
Entrada    ::    OMAIAA    ::    Publicações    ::   Mercados   ::   O Seu Olhar    ::    Notícias    ::    Contactos
Copyright 2011 © Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares